Cerâmica Industrial
https://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2019.009
Cerâmica Industrial
Artigo Original

Matérias-primas do Planalto de Poços de Caldas: Alternativas ao Caulim e ao Feldspato na formulação de Porcelanas e materiais de Revestimento.

T. Kotani, P. M. Nakachima, L. L. H. C. Ferreira, A. L. Pereira

Downloads: 2
Views: 68

Resumo

Materiais a base de caulim, feldspato e quartzo encontram variadas aplicações na indústria cerâmica, principalmente em formulações de porcelanas e materiais ligados à construção civil, mercados em que o Brasil é destaque internacional. As grandes reservas de rocha potássica e fonolito na região de Poços de Caldas – MG, apresentam-se como potenciais substitutos ao tradicional feldspato devido ao alto caráter fundente. Em adição, argilas desta mesma região também são alternativas frente ao consumo de caulim, substituindo-o parcialmente ou totalmente em formulações cerâmicas. Este estudo apresenta a validade destas alternativas, apresentando formulações cerâmicas e matérias-primas com potencialidades tecnológicas.

Palavras-chave

porcelana, rocha potássica, fonolito, argila, Poços de Caldas

Referências

[1] KELLY, J. R.; NISHIMURA, I.; CAMPBELL S. D. Ceramics in dentistry: Historical roots and current perspectives. The Journal of Prosthetic Dentistry, v. 75, n.1, p. 18-32, 1996.

[2] DE NONI JR, A. et al. Influence of composition on mechanical behaviour of porcelain tile. Part I: Microstructural characterization and developed phases after firing. Materials Science and Engineering, A, v. 527, n. 7-8, p. 1730-1735, 2010.

[3] CRAIG, R. G. Materiais dentários restauradores, 11ª Ed., Ed. Santos, S. Paulo, SP (2004) 575.

[4] BRAGANCA, S. R.; BERGMANN, C. P.; Microestrutura e propriedades de porcelanas. Cerâmica. Vol. 50, n. 316 (out/dez. 2004), p. 291-299, 2004.

[5] RUIZ, M. S. et al. A Indústria de Louça e Porcelana de Mesa no Brasil. Cerâmica Industrial, v. 16, n. 2, p. 29-34, 2011.

[6] ROMERO, M.; PÉREZ, J. M. Relation between the microstructure and technological properties of porcelain stoneware. A review. Materiales de Construcción, v. 65, n. 320, p. 065, 2015.

[7] PRADO, U. D.; BRESSIANI, J. C.; Panorama da indústria cerâmica brasileira na última década. Cerâmica Industrial, v. 18, n. 1, p. 7-11, 2013.

[8] Associação Nacional dos fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças e Congêneres. Panorama 2018 – Cerâmicas do Brasil Revestimentos e Louças Sanitárias, ANFACER & ApexBrasil (2018) 72.

[9] CRUZ, C. M. et al. Uso de nefelina como fonte alternativa de álcalis em porcelanatos: caracterização reológica e física. Cerâmica, v. 64, p. 230-235, 2018.

[10]ULBRICH, H. H. et al. Structure and Origin of the Poços de Caldas Alkaline Massif, SE Brazil; In: Mesozoic to Cenozoic Alkaline Magmatism in the Brazilian Platform / P. Comin-Chiaramonti and C. B. Gomes (editors). São Paulo: editora da Universidade de São Paulo: Fapesp, 2005.

[11]MONIZ, A. C. Estudo mineralógico de argilas do maciço alcalino de Poços de Caldas [doi:10.11606/T.44.2016.tde29082016-143600]. São Paulo: Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, 1964. Tese de Doutorado em Mineralogia e Petrologia. [acesso 2018-12-14].

[12]PAVLOV, V. F.; MESHCHERYAKOVA, I. V. Reducing the coloring effects of iron oxides in porcelain bodies. Glass and Ceramics, v. 40, n. 3, p. 150-152, 1983.

[13] TAMSU, N.; VEDAT BAYRAK, A.; OZDEMIR, H. Effects of Na2O/K2O Ratio on the Deformation Behaviour of the Floor Tile Bodies. Acta Physica Polonica, A., v. 123, n. 2, 2013.

[14]JUNIOR, J. S. et. al. Reciclagem de rejeitos de pisos cerâmicos esmaltados, CBECIMAT, Natal, 2002.

[15]American Society for Testing and Materials. ASTM C373 – 18: Standard Test Methods for Determination of Water Absorption and Associated Properties by Vacuum Method for Pressed Ceramic Tiles and Glass Tiles and Boil Method for Extruded Ceramic Tiles and Non-Tile Fired Ceramic Whiteware Products.

[16]American Society for Testing and Materials. ASTM C674 – 13: Standard Test Methods for Flexural Properties of Ceramic Whiteware Materials.

[17]MAGAGNIN, D. et al. Effect of kaolinite, illite and talc on the processing properties and mullite content of porcelain stoneware tiles. Materials Science and Engineering, A, v. 618, p. 533-539, 2014.

[18]MAGLIANO, M. V. M.; PANDOLFELLI, V. C. Mulitização em refratários utilizando diferentes fontes precursoras-revisão. Cerâmica, v. 56, p. 368-375, 2010.

[19]PASCOAL, C., PANDOLFELLI, V. C. Bauxitas Refratárias: Composição química, fases e propriedades – Parte II. Cerâmica, v. 46, n. 299, p. 131-138, 2000.

5d110e150e88254d7b5a3d52 ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections