Cerâmica Industrial
https://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2018.003
Cerâmica Industrial
Artigo

Estudo da Influência da Granulometria e da Carga Mineral em Resina Epóxi Utilizada em Fachada Ventilada

Andreza Nunes Bittencourt, Hermes Mariot, Aline Ribeiro, Débora De Pellegrin Campos, Carolina Resmini Melo Marques, Aline Resmini Melo

Downloads: 0
Views: 447

Resumo

A indústria cerâmica vem evoluindo com o passar dos anos desenvolvendo novos produtos, novas técnicas de produção e aplicações de revestimentos. As fachadas ventiladas são um exemplo de aplicação de revestimentos cerâmicos que tem um papel de extrema importância nos edifícios, além da estética também garantem conforto térmico ao interior da edificação. As resinas são utilizadas em fachadas ventiladas com o propósito de evitar o destacamento das placas em caso de ruptura da peça, para que as mesmas não caiam da fachada. As cargas minerais estão sendo cada vez mais utilizadas em compósitos a fim de agregar propriedades físico-químicas e reduzir custos de produção. No artigo em questão foram testadas duas cargas minerais sendo essas quartzo e dolomita, nas malhas #80, #200 e #325 para quartzo e #100, #200 e #325 para dolomita, em três quantidades de carga minerais diferentes. Os ensaios realizados em laboratório foram: adesividade conforme a norma D4541, viscosidade e sedimentação. Industrialmente avaliou-se a aplicabilidade, resistência ao impacto pela norma NBR 15575 antes e depois da deterioração da resina a alta temperatura e pressão. Os ensaios laboratoriais determinaram o quartzo #200 em maior proporção como sendo a melhor composição, logo realizando os testes industriais os resultados foram comprovados. A fórmula obtida resultou em uma redução de R$ 615,60 para cada 1000 m2 de fachada ventilada produzida.

Palavras-chave

resina, carga mineral, adesividade, fachada ventilada.

Referências

[1] CAUSS, L.W. Sistema de fachada ventilada em edificações: características, métodos executivos e aplicações. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação de Engenharia Civil). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 107 f., 2014.

[2] CAMPOS, K. F. Desenvolvimento de sistema de fixação de fachada ventilada com porcelanato de fina espessura. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 187 f, 2011.

[3] ABNT. NBR 13755: Revestimento de paredes externas e fachadas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante- Procedimento. Rio de Janeiro, 1996. 11 p.

[4] SIQUEIRA, A.A. CAUSS, L.W. Sistema de fachada ventilada em edificações: características, métodos executivos e aplicações. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Construção Civil e Urbana). Escola politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 199 f., 2003.

[5] OLIVEIRA. M.R. Desempenho Térmico de Fachada. Revista Especialize On-line IPOG, Goiânia, Vol. 01/ 2015, Edição nº 10, página 1 a 2, dezembro/2015.

[6] Eliane Revestimento cerâmicos. Fachadas ventiladas. Disponível em: . Acesso em: 23 abril. 2017.

[7] RIBEIRO, A. Substituição da fibra de vidro por fibra natural de juta em sistema físico de revestimento cerâmico em fachada ventilada. Dissertação (Mestrado em Ciência e Engenharia de Materiais). Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 47 f., 2016.

[8] NASCIMENTO, D. C. Análise das propriedades de compósitos de fibras de piaçava e matriz de resina epóxi. Tese (Doutorado em Engenharia de Materiais), Universidade Estadual do norte fluminense – UENF, Campos dos Goytacazes - RJ, 121 f., 2009.

[9] MULLER, A; ALARCON, E. Desenvolvimento de um sistema de fachada ventilada com placas cerâmicas de grês porcelanato voltado para a construção civil do Brasil. Cerâmica, Volume 51, p. 354 - 360, 2005.

[10]ABNT. NBR 15463: Placas cerâmicas para revestimentoPorcelanato. Rio de Janeiro, 2013. 11 p.

[11]DA SILVA. A. L. Conformação de porcelanatos de baixa espessura por prensagem e tape casting. Dissertação (Mestrado em Ciência e Engenharia de Materiais). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 102 f., 2012.

[12]ALMEIDA, C. N. Propriedades mecânicas e térmicas do sistema epóxi Dgeba/ etilenodiamina modificado com Nanoplataformas de silsesquioxano substituídas com Grupos ésteres. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Materiais). Universidade Estadual Paulista, Ilha SolteiraSão Paulo, 81 f., 2005.

[13]NUNES, L. M. Cinética de degradação do sistema resina epóxi/fibra de carbono. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia de Materiais). Faculdade de Engenharia do Campus de Guaratinguetá, Guaratinguetá, 62 f., 2013.

[14]SOBROSA, M.M. Estudo da reocinética de cura de resinas epoxídicas por meio de diferentes técnicas de análise. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Materiais). Escola de Engenharia de Lorena da Universidade de São Paulo, Lorena, 108 f., 2008.

[15]RODRIGUES, M. R. Estudo da reação de cura da resina epóxi (araldit f) com anidrido ftálico e trietilamina como iniciador. Dissertação (Mestrado em Química). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Química, Rio grande do sul, 89 f., 1991.

[16]LIMA, A.B. Aplicações de cargas minerais em Polímeros. Dissertação (Mestrado em Engenharia). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 75 f., 2007.

5bcf2e350e88255f101f4c08 ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections