Cerâmica Industrial
https://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2017.027
Cerâmica Industrial
Artigo

Reformulação de Massas para Pavimentos Cerâmicos Fabricados pelo Processo de Monoqueima

Amanda do Livramento, Maurício Moliner Nazário, Rick Alison Domingos, Agenor de Noni Junior, Reginaldo Tassi, Maykon Cargnin

Downloads: 1
Views: 571

Resumo

A fabricação de revestimentos cerâmicos está em constante mudança, principalmente na busca de melhorias do processo produtivo e evolução das características técnicas dos produtos. Os revestimentos cerâmicos são dependentes das características técnicas das matérias-primas utilizadas em sua composição. As matérias-primas não são perenes, portanto, tem-se a necessidade de buscar alternativas para uma substituição ou também em função do custo de produção, mas deve-se sempre manter ou melhorar as qualidades do produto final. O presente trabalho trata-se de um estudo para a otimização de massa de um pavimento de monoqueima (BIIa) fabricado por via úmida. A otimização consiste em melhorar as características técnicas e reduzir os custos das composições, comparando-as com uma massa padrão. As matérias-primas foram individualmente caracterizadas fisicamente, a fim de auxiliar na escolha das mesmas na elaboração das composições otimizadas. As características técnicas avaliadas das matérias-primas foram à massa específica aparente, resistência mecânica a flexão, retração linear, absorção de água e perda ao fogo. A partir destas informações, foram elaboradas 4 composições que apresentaram uma redução de custo de 17% a 21%, comparadas com a massa padrão. Estas composições e a massa padrão foram queimadas em um forno a rolo laboratorial num ciclo de queima de frio-a-frio de 30 minutos nas temperaturas máximas de 1110 °C, 1120 °C, 1130 °C e 1150 °C. Os resultados das características físicas a seco apontam que todas as composições possuem retração linear, massa específica aparente e resistência mecânica a flexão melhores do que a massa padrão. Após a etapa de queima, as composições F1 e F4 apresentaram os melhores resultados em relação a redução de custo (21% e 20%, respectivamente) e sobre as características técnicas, como massa específica aparente, absorção de água, resistência mecânica, retração linear, flecha de deformação e cor de queima. Com relação a perda ao fogo, todas as composições apresentaram de 1% a 2% acima do valor da massa padrão. Todas as composições apresentaram a formação de coração negro. Apesar destes últimos resultados, a utilização industrial das composições F1 e F4 não está inviabilizada, pois pode-se realizar ajustes no processo para sua utilização. As técnicas utilizadas neste estudo para a otimização da massa cerâmica foram bem-sucedidas e contribuem para o desenvolvimento do processo de fabricação de revestimentos cerâmicos.

Palavras-chave

otimização, propriedades físicas, qualidade

Referências

1. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13817: placas cerâmicas para revestimento – Classificação. Rio de Janeiro, 1997.

2. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13818: placas cerâmicas para revestimento – Especificação e métodos de ensaios. Rio de Janeiro, 1997.

3. ISO. ISO 13006: Ceramic Tiles. The International Standards. Ed. Int. CERLabs. 1998.

4. Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimento. Produção Brasileira de Revestimentos Cerâmicos. Disponível em: . Acessado em: 05 de maio de 2017.

5. BOSCHI, Anselmo O. Panorama Atual da Indústria Brasileira de Revestimentos Cerâmicos. Cerâmica Industrial, Maio/Junho, 2008, p. 13.

6. SCHWARTZ, Nilson; CISLAGUI, Henrique. Modelagem Experimental Por Delineamento de Misturas: Aplicada no Desenvolvimento de Massa de Porcelanato Esmaltado. Tijucas: 2009, p.1-10.

7. DONDI, Michele. Caracterização Tecnológica dos Materiais Argilosos: Métodos Experimentais e Interpretação dos Dados. Cerâmica Industrial, Maio/Junho, 2006, p.11.

8. SILVA, H. C.; SOUZA, F. A. C.; SILVA, N. S.; HOTZA, D. Otimização de fórmulas de massas cerâmicas de Faiança. Cerâmica Industrial, v. 14, n. 1, p. 27-32, 2009.

9. DAL BÓ, M.; MELCHIADES, F.; BOSCHI, A. O. Utilização do método de aditividade para formulações cerâmicas: aplicações e restrições. Cerâmica Industrial, v. 16, n. 2, p. 24-28, 2011.

10. MILAK, A. V.; RODRIGUES, E. P.; RICARDO, E. T.; TERTULIANO, L. A.; JACINTO, R. P.; GASTALDON, R. S.; TASSI, R.; CARGNIN, M.; MODESTO, C. O.; DE NONI Jr, A. Estudo da deformação piroplástica em suportes cerâmicos obtidos com diferentes conteúdos de caulim e quartzo. Cerâmica Industrial, v. 12, n. 6, p. 17-21, 2007.

11. SANTOS, R. C.; SILVA, T. R.; NEVES, G. A.; MACEDO, R. S.; MENEZES, R. R.; SANTANA, L. N. L. Interação entre características de argilas e parâmetros de processamento sobre propriedades tecnológicas de corpos cerâmicos. Cerâmica, v. 63, n. , p.361-368, 2017.

12. DE NONI Jr, A.; HOTZA, D.; SOLER, V. C.; VILCHES, E. S. Influence of composition on mechanical behaviour of porcelain tile. Part I: Microstructural characterization and developed phases after firing. Materials Science and Engineering A, v. 527, p. 1730-1735, 2010.

13. SÁNCHEZ-MUÑOZ, L.; CAVA, S. S.; PASKOCIMAS, C. A.; CERISUELO, E.; LONGO, E.; CARDA, J.B. Modelamento do processo de gresificação de massas cerâmicas de revestimento. Cerâmica, v. 48, n. 308, p. 217-222, 2002.

14. GOES, J.R.; AZEVEDO, T.F.; DUTRA, T.X.C.; SANTOS, V.B.; SEVERO JUNIOR, J.B.; BARRETO, L.S. Avaliação da potencialidade de argilas da formação geológica Calumbi e Riachuelo em Sergipe para aplicação em revestimento cerâmico. Cerâmica, v. 60, p. 211-217, 2014.

15. VIEIRA, C. M. F.; SOARES, J. B.; MONTEIRO, S. N. Desenvolvimento de massas de revestimento cerâmico com argila caulinítica e nefelina sienito. Cerâmica, v. 54, p.184-192, 2008.

16. ALBUQUERQUE, F.R.; SANTOS, I.M.G.; LIMA, S.J.G.; CÁSSIA-SANTOS, M.R.; SOLEDADE, L.E.B.; SOUZA, A.G.; MARTINELLI, A.E. Planejamento experimental aplicado à otimização de massas cerâmicas contendo matérias-primas naturais. Cerâmica, v. 53, p. 300-308, 2007.

17. SILVEIRA, J.; LEITE, J.P. Technique for optimization of ceramic bodies using mixture design. Cerâmica, v. 56, p. 347-354, 2010.

18. ROVERI, C. D.; ZANARDO, A.; MORENO, M. M. T. Variação da cor e propriedades cerâmicas com o aumento da temperatura de queima de uma argila proveniente da formação Corumbataí, região de Piracicaba, SP. Cerâmica, v. 53, p. 436-441, 2007.

19. MELO, M. A. F.; NETO, S. G.; MELO, D. M. A.; CARVALHO, L. P.; GALDINO, J. N.; SILVA, S. A. G. Cor e propriedades mecânicas de algumas argilas do Rio Grande do Norte para uso em cerâmica branca. Cerâmica, v. 48, n. 308, p. 183-186, 2002.

20. DAMIANI, J. C.; PEREZ, F.; MELCHIADES, F. G.; BOSCHI, A. O. coração negro em revestimentos cerâmicos: principais causas e possíveis soluções. Cerâmica Industrial, v. 6, n. 2, p. 12-16, 2001.

5bcf2a5a0e8825760a1f4c0b ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections