Cerâmica Industrial
https://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2017.001
Cerâmica Industrial
Artigo

Utilização da Cerâmica de Entulho na Substituição de Agregado Graúdo do Concreto

Ana Paula Stroher, Daniel Seiji Kato, Natália Ueda Yamaguchi, Osorio Moreira Couto Junior

Downloads: 3
Views: 685

Resumo

O Brasil é o segundo maior consumidor de material cerâmico do mundo, chegando a um número próximo de 70 bilhões de peças produzidas por ano. A área da construção civil é responsável por gerar em torno de 40% da totalidade de resíduos, que se acumula em aterros, gerando vários problemas ambientais. O presente estudo busca maneiras alternativa na destinação do entulho cerâmico oriundo das construções civis. Propondo-se a reutilizá-lo como substituto da brita em 5%, 25% e 50% em conjunto ao cimento Portland CP-II com fck de 25 MPA, resultando em concreto. Verificou-se a trabalhabilidade do concreto fresco, obtendo um rebaixamento da massa variando de 4 a 4,5 cm. Para a simulação utilizou-se ensaio de resistência à compressão aos 7, 14 e 28 dias de idade. Os ensaios que apresentaram maior resistência aos 28 dias de idade foram de 5% e 25%, tornando possível a utilização da cerâmica no concreto dentro da resistência exigido pela norma (20 Mpa).

Palavras-chave

cerâmica, cimento, resíduos, trabalhabilidade, resistência

Referências

1. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA INDUSTRIA CERÂMICA. Dados da Associação Nacional da Indústria Cerâmica. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2010.

2. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS FABRICANTES DE CERÂMICA PARA REVESTIMENTOS – ANICER. Setor de revestimento cerâmico apresenta crescimento de 6,2% no 1º semestre do ano. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2015.

3. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CERÂMICA. Dados da Associação Nacional da Indústria Cerâmica. Disponível em: . Acesso em: 8 out. 2015.

4. CARELI, D. É. A resolução Conama N° 307/2002 e as novas condições para gestão dos resíduos de construção e demolição. 2008.155 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil)-Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, 2008.

5. PINTO, N. B. Tecnologia cerâmica aplicada à produção de pisos e azulejos. Centro de Instrução Profissional Octavia Gaidzinski, 1997.

6. DIAS, J. F. Avaliação de agregados reciclados de resíduos de fabricação de telhas de cerâmica vermelha para seu uso em camadas de baixo custo. 2004. 251 f. Tese (Doutorado em Engenharia)-Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

7. BRASIL. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução no 307, de 5 de julho de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2002. p. 95-96.

8. CABRAL, A. E. B., MOREIRA, K. M. V. Cartilha de gestão de entulho de obra. Fortaleza: Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará, 2011.

9. CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. Guia CBIC de boas práticas em sustentabilidade na indústria da construção. Brasília, 2012. 160 p.

10. FONSECA, A. P. Estudo comparativo de concretos com agregado graúdo de telha cerâmica e agregado graúdo natural. 2006. 200 f. Dissertação (Mestrado)-Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.

11. TRIGUEIRO, A. Empresas públicas e privadas faturam com a reciclagem de entulho. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2015.

12. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10004: Resíduos sólidos – classificação. Rio de Janeiro, 2004.

13. YAZIGI, W. A técnica de edificar. 10. ed. Pini: SindusCon. São Paulo. 1998. 769 p

14. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 13816: Placas cerâmicas para revestimento terminologia. Rio de Janeiro, 1997.

15. DINIZ, J. Z. F. Concreto: material construtivo mais consumido do mundo. Revista Concreto, 2009, p. 77.

16. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND. Guia básico de utilização do cimento Portland. 7. ed. São Paulo: ABCP, 2002.

17. PETRUCCI, E. G. R. Concreto de cimento Portland. 13. ed. São Paulo: Globo, 1998.

18. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 7211: Agregados para concreto – especificação. Rio de Janeiro, 2009.

19. KULAIF, Y. Análise dos mercados de matérias-primas minerais: estudo de caso da indústria de pedras britadas do Estado de São Paulo. São Paulo, 2001.

20. BARDELLA, P. S., BARBOSA, D. C., CAMARINI, G. Sistemas de cura em concretos produzidos com cimento Portland de alto-forno com utilização de sílica ativa. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA-PROJETOPRODUÇÃO EM CONCRETO PRÉ-MOLDADO. São Carlos. Anais... Campinas, 2005. p. 1-12.

21. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 12025 MB-3361: Solo-cimento – ensaio de compressão simples de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 1990.

22. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 5738: Concreto — procedimento para moldagem e cura de corpos de prova. 2. ed. Rio de Janeiro, 2015.

23. LODI, P. C. Mecânica dos solos. 1. ed. Ilha Solteira: UNESP, 2007.

24. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 10703: Peneiras de ensaio – tela de tecido metálico, chapa metálica perfurada e lamina eletroformada – tamanhos nominais de abertura. Rio de Janeiro, 1997.

25. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR NM 67: Determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone. Rio de Janeiro, 1998.

26. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 8492: Tijolo maciço de solo-cimento – determinação da resistência à compressão e da absorção d’água. Rio de Janeiro, 1984.

27. RIPPER, E. Manual prático de materiais de construção. 1. ed. São Paulo: Pini, 1995. 252 p.

28. PIMENTA, D. S. Produção de concreto convencional com a utilização de pó de brita. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil)-Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

29. WADA, P. H. Estudo da incorporação de resíduos de cerâmica na composição de concreto para uso em estacas moldadas in Loco. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil)-Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, 2010.

30. OLIVEIRA, P. H. M. Influência da adição de resíduo cerâmico nas propriedades mecânicas do concreto. 2014. 81 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil)- Centro Universitário de Formiga, Formiga, 2014.

5bcf26a10e882589051f4c0a ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections