Cerâmica Industrial
http://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2019.002
Cerâmica Industrial
Artigo Original

A Utilização do Resíduo da Fabricação de Granilha em Engobes e Esmaltes Cerâmicos

Gian Garcia, Aline Resmini Melo, Ana Sônia Mattos, Maicon Costa Colombo, Morgana Nuernberg Sartor Faraco

Downloads: 3
Views: 93

Resumo

O processo de produção da granilha cerâmica gera uma grande quantidade de resíduo. O descartado incorreto desse subproduto pode resultar em prejuízos para a empresa e impactos ambientais. O presente trabalho visa o desenvolvimento de um engobe e um esmalte cerâmico que utilize o maior percentual possível desse resíduo em sua formulação, em substituição às fritas, usualmente caras, sem alteração das características técnicas dos produtos. Diferentes percentuais de substituição foram avaliados. Os resultados das análises visuais foram satisfatórios. Obteve-se um esmalte com ótima textura, brilho e tonalidade menos amarelada e um engobe com brancura muito próxima do padrão de referência. As caracterizações físicas também levaram a bons resultados. O esmalte desenvolvido mostrou-se resistente ao lascamento e com coeficiente de dilatação térmica adequado. O engobe apresentou fusibilidade similar ao engobe padrão e mancha d’água aceitável. A análise econômica estimou uma redução de custo de 6,52% para o engobe e 3,57% para o esmalte com o uso do resíduo. Concluiu-se, portanto, que a produção de um engobe e um esmalte através da incorporação do resíduo de granilha na formulação é tecnicamente e economicamente viável.

Palavras-chave

resíduo de granilha, engobe, esmalte, redução de custo.

Referências

ABNT. NBR13817. Placas cerâmicas para revestimento – classificação. Rio de Janeiro, 1997.3 p.

AMORÓS, José Luis. Vidrados para Pavimentos e Revestimentos Cerâmicos: Evolução e Perspectivas. Parte II. Revista Cerâmica Industrial. v. 6, n. 6, p. 18-27, 2001. Disponível em: . Acesso em: 22 abril 2018.

COLONETTI, Ricardo. Alves. Trajetória da Indústria de Revestimentos Cerâmicos do Sul Catarinense. Revista Cerâmica Industrial. v.21, n. 3, p. 21-25, 2016. Disponível em: . Acesso em: 21 abril 2018.

SANCHES, E. Matérias-primas para a Fabricação de Fritas e Esmaltes Cerâmicos. Revista Cerâmica Industrial. v. 2, n. 2/3, p. 32-40, 1997. Disponível em: . Acesso em: 22 abril 2018.

SARABANDO, Artur. R. M.; OLIVEIRA, Helder. J. C.; LABRINCHA, João Antonio. Uso de Granilhas em Suspensão para Porcelanato. Revista Cerâmica Industrial. v. 16, n. 3, p. 11-16, 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 abril 2018.

5cae06620e88251d60fa9a2d ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections