Cerâmica Industrial
http://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2018.013
Cerâmica Industrial
Artigo Original

Efeito da Adição do Resíduo do Polimento de Porcelanato – RPP na Durabilidade de Argamassa de Revestimento

Elis M. de Oliveira, Elen M. de Oliveira, Michael Peterson, Fernando Pelisser, Camila M. de Oliveira , Elaine G. P. Antunes

Downloads: 2
Views: 144

Resumo

Práticas de reciclagem vêm sendo estudadas para inserir resíduos da indústria cerâmica em concretos e argamassas, criando produtos sustentáveis. Considerando as características do resíduo do polimento de porcelanato (RPP), foi avaliado o seu potencial como material pozolânico para fabricação de argamassas de revestimento. Corpos de prova, preparados com 10% e 20% de substituição de parte do cimento pelo resíduo e também com 10% e 20% de adição do resíduo em relação à massa de cimento, além de amostras de referência, foram submetidos ao ensaio de envelhecimento acelerado. A resistência à compressão pré-envelhecimento determinada para a argamassa com adição de 20% se mostrou superior à resistência das amostras de referência. Estatisticamente, os corpos de prova com substituição de 20% e adição de 10% apresentaram resistência semelhante àquela observada para a argamassa sem resíduo. O ensaio de envelhecimento acelerado indicou que o resíduo reduz a absorção das argamassas.

Palavras-chave

resíduo do polimento de porcelanato, material pozolânico, resistência mecânica, envelhecimento.

Referências

[1] L.N. Marques, R.R. Menezes, G.A. Neves, L.N.L. Santana, H.L.Lira;, H.C. Ferreira, Rev. Eletrônica Mater. E Process. 2 (2007) 34–42.

[2] P. Cardoso, F. Pelisser, J. Clean. Prod. 100 (2015) 84–88.

[3] A.M. Bernardin, D. de S. Felisberto, M.T. Daros, H.G. Riella, Cerâmica Ind. 11 (2006) 31–34.

[4] M.C. Bignozzi, A. Saccani, Cem. Concr. Compos. 34 (2012) 1141–1148.

[5] K. Abdelli, M. Tahlaiti, R. Belarbi, M.N. Oudjit, Influence of the origin of metakaolin on pozzolanic reactivity of mortars, in: Energy Procedia, 2017: pp. 230–235.

[6] M. Moesgaard, D. Herfort, M. Steenberg, L.F. Kirkegaard, Y. Yue, Cem. Concr. Res. 41 (2011) 359–364.

[7] F. Pelisser, L.R. Steiner, A.M. Bernardin, Environ. Sci. Technol. 46 (2012) 2368–2374.

[8] E. Rambaldi, L. Esposito, A. Tucci, G. Timellini, J. Eur. Ceram. Soc. 27 (2007) 3509–3515.

[9] A.M. Bernardin, M.J. da Silva, H.G.C. da Silva, H.G. Riella, Caracterización física, estructural y mecánica de las cerámicas expandidas obtenidas a partir de los residuos de pulido, in: Proceedings of the VIII World Congresso on Ceramic Tile Quality, 2006: pp. 191–198.

[10]S. Wild, J.M. Khatib, A. Jones, Cem. Concr. Res. 26 (1996) 1537–1544.

[11]P.K. Mehta, P.J. Monteiro, Concreto: microestrutura, propriedades e materiais, 3ed., IBRACON, São Paulo, 2008.

[12]S. Santos, Produção e Avaliação do uso de pozolana com baixo teor de carbono obtida da cinza de casca de arroz residual para concreto de alto desempenho, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

[13]J. Bacichetti, Rev. Espec. On-Line IPOG. 01 (2015).

[14]B. Szlak, E. Taniguti, E. Nakamura, É. Mota, M. Bottura, V. Frigieri, Manual de Revestimentos de Argamassa, Associação Brasileira de Cimento Portland, 2003.

[15]S. Gupta, H.W. Kua, S.D. Pang, Constr. Build. Mater. 167 (2018) 874–889.

[16]G. Li, A. Zhang, Z. Song, S. Liu, J. Zhang, Constr. Build. Mater. 158 (2018) 640–648.

[17]ABNT NBR 12653, Materiais pozolânicos - Requistos, (2014).

[18]ABNT NBR 13276, Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Preparo da mistura e determinação do índice de consistência, (2005).

[19]ABNT NBR 7215, Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão, (1996).

[20]M.I. Brasileiro, H.S. Rodrigues, A. W. B Ferreira, D.F. Oliveira, G.A. Neves, S.M.R. Patricio, M.C. Silva, H.C. Ferreira, Envelhecimento de Argamassas Alternativas, in: Anais do 44º Congresso Brasileiro de Cerâmica, São Paulo, 2000: pp. 40801–40811.

[21]R.C. de Lima, P.R. do L. Helene, M.G. Lima, Avaliação da eficiência de inibidores de corrosão em reparo de estruturas de concreto, EPUSP, São Paulo, 2001.

[22]ABNT NBR 9778, Argamassa e concretos endurecidos – Determinação da absorção de água, índice de vazios e massa específica, (2005).

[23]L.R. Steiner, A.M. Bernardin, F. Pelisser, Sustain. Mater. Technol. 4 (2015) 30–35.

[24]A.M. Neville, Propriedades do concreto, 2ed., PINI, São Paulo, 1997.

5c3c8f700e88252a11cd6223 ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections