Cerâmica Industrial
http://ceramicaindustrial.org.br/article/doi/10.4322/cerind.2018.001
Cerâmica Industrial
Artigo Original

Simulação de um Processo de Produção para uma Linha de Produção de Blocos Vazados em uma Indústria de Cerâmica Vermelha com Auxílio da Ferramenta Arena

Gabriel Alexei Almeida Barrosa, José Antônio da Silva Souza

Downloads: 2
Views: 100

Resumo

No último decênio, a intensificação da competitividade presente no mercado impulsiona as empresas a voltarem o foco para o aprimoramento do sistema produtivo e políticas praticadas, buscando assim garantir o espaço ocupado pela concorrência. O objetivo principal deste trabalho é analisar o sistema produtivo de uma indústria cerâmica localizada na cidade de São Luís, MA e realizar o mapeamento dos processos produtivos juntamente com a aplicação do estudo de tempos e movimentos atrelado simulação computacional, para realização de um plano de otimização. O trabalho apresenta uma pesquisa exploratória aplicada, a partir do estudo de caso. Com a análise do fluxo de produção e a identificação das causas de perdas de eficiência, pode-se usar a ferramenta de simulação computacional para identificar as relações entre os processos e criar um plano de priorização para equipamentos-chave do processo produtivo. Conclui-se que, no sistema em estudo existem dois processos restritivos, máquina cortadora e forno lado b. Assim, com a identificação dos gargalos foi possível concentrar os esforços e investimentos nos pontos relevantes, tornando-a mais competitiva.

Palavras-chave

indústria cerâmica, simulação computacional, gargalos.

Referências

ASSOCIACAO NACIONAL DA INDUSTRIA CERAMICA. – Telhas cerâmicas cobrem o Brasil – Normas técnicas estimulam novos modelos, controle de qualidade e maior informação ao consumidor. Revista da Anicer, Associacao Nacional de Ceramica Vermelha ABC, 2010.

BARNES, Ralph M. Estudo de movimentos e de tempos: projeto e medida do trabalho. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2001.

BATALHA, Mário Otávio. Introdução à Engenharia de Produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

BAZZO, Walter Antonio; PEREIRA, Luiz Texeira do Vale. Introdução a Engenharia: conceitos, ferramentas e comportamentos. Florianópolis: UFSC, 2008.

CAMPOS, Vicenti Falconi. TQC: controle da qualidade total. 1992.

CORRÊA, Henrique L.; CORRÊA, Carlos A. Administração de Produção e Operações. São Paulo: Atlas, 2004. 690 p.

COX, James F; SPENCER, Michael S. Manual da teoria das restrições. Tradução Fernanda Kohmann Dietrich. Porto Alegre: Bookman, 2002.

ESCRITÓRIO Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste - ETENE. Informe Setorial Cerâmica Vermelha, out./2010.

FERNANDES, Luís César da et. al. Simulação da dinâmica operacional de uma linha industrial de abate de suínos. Disponível em: Http://Www.Scielo.Br/Pdf/Cta/V26n1/28866.Pdf

FREITAS FILHO, Paulo José de. Introdução à modelagem e simulação de sistemas com aplicações em Arena. Florianópolis: Visual Books, 2008.

FONSECA, Jairo Simon da; MARTINS, Gilberto de Andrade. Curso de Estatística. São Paulo: Atlas, 2009.

GAVIRA, Muriel de Oliveira. Simulação computacional como uma ferramenta de aquisição de conhecimento. Dissertação de mestrado – Escola de Engenharia, Universidade de São Carlos, São Carlos, 2003.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projeto de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

GOLDRATT, Eliyahu M; COX, Jeff. A meta: um processo de melhoria contínua. 2.ed. São Paulo: Nobel, 2002. GUERREIRO, Reinaldo. A meta da empresa: seu alcance sem mistérios. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HENRIQUES JUNIOR Maurício Francisco et al.Manual de eficiência energética na Indústria de Cerâmica Vermelha. Rio de Janeiro: INT/MCTI, 2013. 28 p.

HEIZER, J.; RENDER, B. - Administração de Operações. LTC. 5a Edição. São Paulo, 1999.

INBRAS. Disponível em: http://www.inbras.com.br/aEmpresa.asp. 2015. Acesso em: 12 abr. 2015 LAW, Averill M.; KELTON, W. David. Simulation modeling and Analysis. New York: McGraw-Hill, 2000.

LORENÇO M. H. D. T. Simulação de operações preferenciais de ônibus urbanos em vias arteriais: uma metodologia para implantação de faixas exclusivas segundo o critério de tempo do usuário. Dissertação de mestrado, Programa de Engenharia de Transportes. COPPE. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1981.

MALHOTRA, Manoj ; RITZMAN, Larry P.; KRAJEWSKI, Lee. Administração de Produção e Operações. 8 ed. São Paulo: Pearson, 2009.

PARAGON. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2015.

PRADO, Darci Santos do. Usando o Arena em simulação. 3. ed. Belo Horizonte: Editora INDG Tecnologia e Serviços Ltda, 2014. PROJETO de Eficiência Energética nas Pequenas Indústrias de Cerâmica Vermelha do Brasil - ELLA. Panorama da Indústria de Cerâmica Vermelha no Brasil. Rio de Janeiro, jun. 2012.

SANTOS, P. S. Ciência e Tecnologia de argilas. 2. ed. São Paulo: Edgar Blucher, 2013. 1v.

SEBRAE; ESPM. Cerâmica vermelha: estudos de mercado. São Paulo: SEBRAE Nacional, 2008. Relatório Completo.

SCHOWB, M. R. V, Perspectivas de difusão do gás natural na industria brasileira de cerâmica vermelha. 2007. 352f. Dissertação (Mestrado em Ciências em Planejamento Energético)- Departamento de Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

SILVA, Edna Lucia da.; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração da dissertação. 3. ed rev. e atual. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da UFSC, 2001.

SWAIT, Joffre. Simulação de engenharia dos transportes. COPPE / Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1987.

VILAÇA, Márcio Luiz Corrêa. Pesquisa e Ensino: considerações e reflexões. Revista do Curso de Letras da UNIABEU, Nilópolis, v. 1, n. 2, p. 59-74, maio/ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.

VALOR Logística Integrada. Disponível em: http://www.planetaferrovia.com/2013/02/valor-logistica-integrada.html. Acesso em: fev. 2015.

5c3c8d950e8825f10fcd6223 ci Articles
Links & Downloads

Cerâm. ind.

Share this page
Page Sections